Disco Preto (2010)

by Dance of Days

/
1.
2.
3.
02:14
4.
01:58
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
12.
13.

credits

released September 13, 2010

tags

license

all rights reserved

about

Dance of Days São Paulo, Brazil

Rock paulista na estrada desde 1997!

Nenê Altro – Vocal
Marcelo Verardi – Guitarra
Adriano Parussulo – Baixo
José Junior – Bateria


Para shows escreva: shows@danceofdays.com.br ou envie whatsapp para 11963650960

Imprensa: imprensa@danceofdays.com.br

Agenda: danceofdays.com.br
... more

contact / help

Contact Dance of Days

Streaming and
Download help

Track Name: E Livrasse A Todos Que, Pelo Pavor Da Morte, Estavam Sujeitos À Escravidão Por Toda Vida
Não, não vou seguir sua luz.
Seu perdão não me interessa.
Não, não sou um pote vazio pra você encher de lixo.
Não tenho que agradar ninguém nem medir palavras:
Eu não compro seu Deus.
Não compro sua farsa.
Não vou me ajoelhar a seu livro sexista
de guerras e desgraças, julgamentos e mentiras.
Não, não vou me ajoelhar pra você.
Não vou me drogar com seu Deus
só pra me curar do vazio que você me deu
arrancando de mim a minha inocência e
trocando minhas pernas por suas muletas.
Não, você não vai mais arrancar nada de mim.
Não preciso de você pra provar minha existência.
Hoje eu vejo alem... alem dos seus muros, alem de suas
feridas.
Não quero mais você nem suas mentiras.
Seus templos de miséria, sua história de covardia.
Não quero mais você nem sua porra de doutrina.
Sua igreja não me diz nada.
Sua vontade não me diz nada.
Não sou mais um fraco de joelhos.
Não sou mais o que apanha e diz amém.
Track Name: Ferris E O Queimador De Livros
FERRIS E O QUEIMADOR DE LIVROS

(Fase 1)
Sinto no ar um sabor que faz arder a alma.
Entre ectoplasmas que brincam de esconder.
Nuvens alaranjadas forram todo céu,
refletem rubras no reflexo do véu
que cobre o mar escuro que jamais se abriu me salvar.

Hoje eu vou morrer como luz de estrela,
aos poucos, pra ver desaparecendo
todos discursos em que me agarrei,
cada planeta em que dancei,
pois irmão, já me fui há tempos.

(Fase 2)
Sorri quando te vi, parada assim olhando para mim.
Fazendo juras de não me esquecer, esquecer, esquecer…
Nossos pais são crianças e eles vem
me dar as mãos e dizer que tudo bem,
"vamos pra casa então que a festa acabou".

O poeta errou, Hy Brasil afunda,
e sei, não vou nem saber se estive lá.
Ou se sangrei as frutas proibidas
que brilharam meus olhos.
Injusto demais. Como tudo aqui.

(Fase 3)
Point, Counter Point.

(Fase 4)
Vou então, Ferris Bueller está solto
e tão certo de que Montag
vem inflamar em quatro cinco um
cada sorriso até não sobrar.
Pois já não consegue mais estar bem...